Verso Danielano


Está bem difícil
Seguir adiante
Me recolocar de pé
e "promover meu levante"
Não é uma cruz qualquer
Talvez seja uma das mais pesadas
Que tenho que carregar
absolutamente sozinho
Não tenho em quem me apoiar
Nem mesmo alguém para me escutar
Desabafar então nem pensar
Só eu mesmo e meus pensamentos
vagando no meu corpo
Que às vezes me dá a sensação de estar morto
Tal a maneira intensa
pela qual passo desapercebido 
e principalmente
despercebido
Uma ducha de água quente
Numa cabeça que busca
No possível do coerente
apenas esfriar
Não há porto seguro
Não há portas,
batentes e nem sequer um muro
que me proteja do que pode me derrubar
Não é que esperava em alguém me escorar
apenas esperava uma mão
que me ajudasse
de cada queda me levantar
O tempo fecha
As nuvens ameaçam e se aproximam
e eu só tenho a mim mesmo para me ajudar.




Um comentário:

Fernanda Durante disse...

Que belo texto Daniel! Forte. Profundo. Quem ainda não passou por momentos assim, com certeza terá sua oportunidade. Momentos em que se pensa que não será possível se levantar até que se começa a pensar no assunto e tentar. Momentos em que olha-se para os lados e percebe que a força terá que vir de dentro de si mesmo. Quem não espera alguém, mesmo que não consiga evitar a queda, que possa ao menos nos ajudar a levantar?

Postar um comentário