A Magia do Natal

Creio que independente de credos e tradições, há algo de especial nesta época do ano. Ninguém é (ou pelo menos deve ser) uma rocha a ponto de não se contagiar ao menos pelo espírito de esperança que nos enche os corações.

Apesar disso, a crise ética na política do país, a economia e sua crise preocupante e os problemas que todos temos no decorrer do ano parecem petrificar um pouco nosso medidor de sensações. A cada natal, parece existir um freio maior, que joga um balde de gelo no sorriso pleno.

Sei que a fórmula dos verdadeiramente felizes é enxergar essa positividade, independente do ambiente. Mas eu não tenho tanta facilidade quando se trata dessa prática. E, como mencionado em postagens anteriores, há também aquele receio de parecer mal agradecido, afinal tenho sempre muito mais a agradecer.

E é por aqui que vou começar, pelos agradecimentos.

O primeiro é ao Criador, pela saúde, por me salvar de situações em que o fato de ser mais racional e menos emotivo e instintivo realmente me mostraram o melhor caminho. No mundo da lógica, só mesmo uma força muito superior para me ensinar a perdoar quase que instantaneamente palavras agressivas, pejorativas à minha pessoa, ditas algumas vezes na minha cara. É uma prova de que Ele me passou uma lição. 

É mais fácil você devolver a violência que recebe, porém ao não reagir como o instinto manda, você não permite que esse ódio nasça, cresça e se multiplique em você. Ele fica apenas em quem arquiteta essa maldade, mesmo que a pessoa ache que isso não fique nela. Daí você entende o que faz a pessoa desenvolver "essa habilidade" e até ora pela evolução dela. Muitas vezes, essa verve nasce de um desprezo, por alguma falta de alguma(s) de tantas necessidades de nossa vida. Ainda assim, como não tem muitas virtudes, é mais fácil desenvolver alguma maldade para compensar essa infelicidade. E não dá pra achar alguém menor apenas por causa disso.  

Agradeço por ter conseguido me preparar corretamente para os desafios que enfrentei. Fiquei mais fã de mim quando soube lidar com situações inesperadas, como doenças na família (fatos que além da experiência, acrescentaram alguns anos de rugas e fios de cabelo brancos). 

Lidar com pessoas é um grande aprendizado e neste ponto, nas situações que fui desafiado, ao menos em minha análise, consegui desempenho satisfatório. Alunos de diferentes experiências, e personalidades me ajudaram neste processo. 

Meu trabalho em rádio também foi de enorme aprendizado. O trabalho em um novo modelo de emissora, com um enfoque diferenciado ao público e um ritmo diferente da experiência de mais de 20 anos em rádio comercial que acumulei. Ou seja, um mundo totalmente novo para evoluir.

Neste ano em que entrei na turma dos "enta", o acúmulo de aprendizado foi o maior em toda a minha vida. E a isso, contando dificuldades, maldades alheias e objetivos atingidos sou grato. Aliás, tome nota desta dica, se é que posso pedir isso: não são pessoas más, mas as maldades delas que são a se enfrentar. É um pensamento construtivo que te impede de ficar acumulando e gastando munição em todos só porque seu "santo não bate com o santo da pessoa". Isso também te impede de ficar julgando os outros só para se proteger do mal que ela possa lhe causar. O que só te faz ter sensibilidade para coisas ruins. 

Como evolução, chega a ser triste quando você percebe atitudes das pessoas para que você perca a razão e a devolva em dobro o mal que ela fez, mas a única coisa que você a devolve é um sorriso. Dá pra ver o fogo queimando no olho da pessoa, voltando todo pra ela. Aí, por mais cristão que seja, não há o que fazer pela pessoa. Não posso impedir que ela receba de volta o fogo que lançou em mim. 

À magia do silêncio e a compreensão de como ele é ensurdecedor também fizeram parte do meu aprendizado e à essa percepção eu sou grato. 

Agradeço também por poder desejar Feliz Natal a todos por aqui. Por poder ter mãe e pai comigo, apesar das dificuldades. E por ter a família também neste momento. 

Agora vou aos pedidos. Peço que Deus amacie um pouco meu amor, para que eu consiga me emocionar, pois acho que isso me torna mais humano. Não gostaria de ficar um velho reclamão e insensível. Pelo menos é algo que não quero para mim no futuro. 

Agradeço ás oportunidades, aos desafios. Lamento pelos erros e peço a Deus que sempre me faça percebê-los e, portanto, aprenda com eles. Peço saúde e felicidade aos que gostam de mim e aos que ainda leem esse texto com aquele olhar de fogo mencionado acima. 

Uma das pontes que me levam à essa maior emotividade nesta época tem a ver com a música. Aqui, separo uma das músicas mais emocionantes, cantada por Daryl Hall. 

Essa música é uma daquelas que escolho ouvir no meu canto, um pouco depois da meia-noite, de olhos fechados e pensamento aberto. Mesmo porque poucos são os que gostam das "minhas músicas" preferidas. Neste momento, me dou o direito de chorar e sentir o real espírito de Natal. Que eu cometa menos erros pegue mais leve comigo, não fique tão desanimado e em silêncio em tantos momentos como em 2016, entre tantas outros desafios que preciso enfrentar e superar. 

A todos um feliz e abençoado Natal.


Um comentário:

Helena G.S.R disse...

Ânimo para vencer os obstáculos é mais do que suficiente...
O Natal já passou, mas deixo aqui os meus votos de Feliz Ano Novo, Daniel.

Beijão!
Blog: *** Caos ***

Postar um comentário