DR com DR

Crise de identidade no blog.
Pra que postar aqui? Quantas dores de cabeça me resultaram as postagens aqui impressas? Julgamentos, pessoas que, apesar de nunca nominalmente citadas alegavam se sentir expostas, muitas vezes por estórias (sim, estórias) que nada tinham a ver com elas de fato, etc.

Poderia mandar tudo e todos às favas, mas cansei. Parece que após anos vigiando o mar de ideias da minha vida, "meu farol está sucumbindo à força das águas que violentamente agridem a costa". 

Talvez por influencia de um ano muito difícil. Sim, um ano extremamente difícil. De doenças  em pessoas que amo e em mim mesmo. Algumas situações novas, felizes, e outras longe, bem longe do que esperava pra minha vida. Foi muita barra para muito pouco tempo. 

Neste momento de revolta, aí mais uma vez me assombra um complexo de cristão mal agradecido. "Daniel, que pecado você não enxergar o que a vida já lhe trouxe ou que ainda lhe trará de bom". Só que, como ser humano, há espaço aqui dentro também para a inconformidade, mesmo que imatura. Qual é?! Agora não posso, mesmo sem razão, questionar algo em algum momento da minha vida? Será que minha única função nesta vida é dizer amém a tudo é a todos, relevar os defeitos irritantes dos próximos com um sorriso a cada nascer do Sol? 

Vem a consciência e me diz: "Daniel, seu pecador, Deus há de lhe punir, tirando todo o pouco material que você conquistou e também toda a saúde que Ele te deu". Sabe, são coisas para as quais preciso evoluir, entenda-se viver, para compreender. Mesmo porque, diante da minha infinita ignorância diante do universo de sabedoria Dele, não creio que Deus tenha nos feito com capacidade de pensar sem podermos questionar o que não sabemos e nem o que, em meu caso, ainda julgo não ter vivencia suficiente para compreender. Deus sabe o quanto paciente fui, o quanto perdoei, o quanto fui me achando idiota por fazer isso até a tomografia mental que faço a cada pessoa que conheço hoje em dia. A diferença minha em relação ao mundo é que, diferente dos covardes de plantão que pensam "a" e agem "b", eu falo assim como ajo, e isso assusta. "Olha o estressadinho ali, o mal amado reclamando da vida, e eu tendo quer ler, ouvir e ver isso de pessoas bem mais "fdp" que eu (no meu julgamento). 

É, amigo leitor, a vida é cruel mesmo. Não dá pra ser sempre pensamento positivo. Às vezes, acaba o volume morto das reservas e bocas e dedos viram lasers que fulminam tudo o que se vê pela frente.

Enfim, será que esse blog entra na lista das ferramentas de desabafo tão aconselhadas nas terapias ou eu desenvolvo capacidade suficiente para entender que esse espaço aqui pode contemplar muto mais que questionamentos, posicionamentos extremos, como se fosse um velho chato? É muito pensamento para processar.

Um comentário:

Helena G.S.R disse...

Ah, eu acho muito simples...
O blog é seu e você posta o que quiser.
Ninguém é obrigado a ler, não é mesmo?

Bom, de minha parte, gostei daqui. ;)
Espero não estar chegando tarde.

Beijão.
Blog: *** Caos ***

Postar um comentário